terça-feira, 25 de novembro de 2008

Trilha dos Saltos


Após a longa caminhada do dia anterior na trilha dos Cânions estamos novamente nos aquecendo, agora, para encarar a trilha dos saltos que apesar de ter um percurso um pouco menor com 4,5km apresenta um desnível de aproximadamente 250m e nível médio. O céu esta limpo, não há nuvens, o sol esta realmente forte e a trilha é pesada. Nessas condições se hidratar é muito importante e realmente não da para esperar a primeira cachoeira para matar a sede, portanto, a garrafa d'agua é sem dúvida indispensável. Que o diga alguns 'desavisados' que não a levaram.

Salto do rio Preto, talvez a paisagem mais conhecida da chapada.


Passados alguns minutos de caminhada agradeço ao sol forte por iluminar, na minha opinião, a mais bela paisagem de toda a chapada. Um lindo vale e em seu leito o rio Preto, ainda agitado após uma violenta queda de 120m se estende rumo ao horizonte, agora, calmamente entre as pedras se perde em meio as montanhas.
A foto anterior foi tirada de um mirante na trilha dos saltos, a paisagem é empolgante e não da vontade de seguir viagem, porém, há mais a nossa espera e vamos em frente.

A próxima parada é no Salto I, também conhecido como Cachoeira do Garimpão. Aqui o rio preto despenca de 80m de altura para formar um lindo lago de águas escuras rodeado por paredões de pedras e algumas árvores que fazem sombra a uma pequena mas aconchegante praia. É um ótimo local para banho, de águas tranquilas e razas. Na praia as águas razas revelam cardumes de pequenos peixes. Pouco incomodados com nossa presença chegam perto sendo possível toca-los.



Aqui uma dúvida me persegue: terá mesmo essa cachoeira 80 metros? Não da pra discutir com as medidas oficiais no olho né?! Mas o fato é que não parece mesmo. Essa impressão parece ser causada pela grandeza total do lugar, onde a cachoeira não passa de um um 'pouco' de agua escorrendo das imensas paredes rochosas que rodeiam todo o lago, o maior da chapada. Tudo é tão grande que se perde a noção de espaço, de tempo, de belo. Somos ínfimos perante a natureza.

Aproveitamos a água, a sombra, a brisa e principalmente a paisagem do lugar . Ficamos ali cerca de duas horas mais que o suficiente para descansar, relaxar e seguir em frente, ou melhor para traz. Passamos novamente pelo mirante do Salto do rio Preto e seguimos a trilha de volta. A próxima parada no caminho de volta são as corredeiras.

As corredeiras são uma sequência de pequenas quedas de águas tranquilas que formam piscinas e hidro-massagens naturais. É um ótimo local para banho e a água clara e raza é ideal para mergulhos livres. Para quem não gosta de água fria, aqui as águas são surpreendentemente quentes, obviamente, em relação a outros locais onde a água é sempre gelada.

Vários cenários das corredeiras

Como sempre o sol esta esta impiedoso, porém mais baixo, quem quiser pegar uma cor a hora é essa. Já para quem prefere uma boa sombra as poucas árvores próximas as corredeiras são um pequeno oásis. Eu prefiro ficar na água, e que água boa, temperatura excelente e muito relaxante. Imerso na água escuto o canto das corredeiras que ecoam por todo o rio, é uma terapia.


Mais um dia no Parque vai chegando ao fim. O sol baixo passeia pelo laranja antes de ficar avermelhado e dessa cor pinta toda a paisagem a vista. Os pássaros cantam mais intensamente, se preparam para algo ou apenas dão mais encanto ao por do sol. As plantas, retorcidas, desenham sombras aleatórias no chão de pedras, todas, preciosas.

Um comentário:

fernandaoliveira73 disse...

Vou estrear entao os comentários! Vc tava inspirado hein....Adorei as fotos e mais ainda seu relato....Show de bola!

Pesquisa